J.R. da COSTA ASSUNCÁO nuevo CCM (ICCF) por Juan Perez

José Ribamar da Costa Assuncáo alcanzó este año el título de CCM (ICCF). Aprovechamos la oportunidad para efectuarle una breve entrevista agradeciéndole el tiempo que nos dedicó.

1. Lugar y fecha de nacimiento. Profesión, estado civil, pasatiempos.

R – Nasci no dia 9 de março de 1951, na cidade de Teresina, capital do Estado do Piauí, no Brasil. Sou membro do Ministério Público do Estado do Piauí, no cargo de Procurador de Justiça, casado. Meus passatempos preferidos: xadrez, cinema, filmes históricos na TV e no cinema, literatura brasileira e universal. Gosto de assistir partidas de tênis, futebol e vôlei.

2. Quien y cuando le enseñaron a jugar ajedrez.

R – Aprendi o xadrez por volta dos 19 anos, portanto, praticamente no começo da vida adulta, não tendo tempo suficiente para me dedicar ao estudo do xadrez, pois, além de priorizar estudos formais visando uma formação universitária, logo comecei a trabalhar numa atividade remunerada visando meu próprio sustento. Residia na cidade de Fortaleza, capital do Estado do Ceará, e alguns amigos jogavam xadrez, tendo aprendido com eles. Inicialmente, jogávamos em casa; posteriormente, passei a frequentar o BNB Clube, onde havia uma sala para o jogo de xadrez. O mestre brasileiro de xadrez, Dr. Ronald Câmara, cearense, que se tornou bicampeão brasileiro de xadrez (1960-1961) e, posteriormente, foi Árbitro Internacional da FIDE, deu algumas palestras de xadrez no BNB Clube e ali passei a me familiarizar com o jogo. Nesse Clube disputei os primeiros torneios, nos anos 1971 a 1972. Comprei alguns livros para aprender o jogo, dentre eles o sempre lembrado “Xadrez Básico”, do Mestre Nacional do Brasil, Dr. Orfeu Gilberto D’Agostini, obra então recomendada pela Confederação Brasileira de Xadrez – CBX.

3. Cuales fueron sus mejores resultados de torneos “frente a frente”.

R – Nunca tive um professor de xadrez e sempre joguei por diversão, não podendo me dedicar ao jogo de competição ao vivo. Mas comprei muitos livros e estudei os princípios básicos do jogo, as aberturas, o meio-jogo e os finais. Tenho obras clássicas dos grandes jogadores, como Alekhine, Nimzowitsch, Tarrasch e Botvinnik, além de livros com partidas completas ou seletas de todos os grandes jogadores da história. Possuo a coleção quase completa do Informador Sahovski. Através da leitura dessas obras, ainda que fragmentada, e tendo procurado me atualizar com os programas de xadrez mais modernos lançados pela ChessBase, tornei-me “expert” em xadrez e, por último, recebi o título de CCM pela ICCF. Transferido para a cidade de Teresina, capital do Estado do Piauí, em 1974, passei, em 1978, a frequentar o Clube Teres inense de Xadrez – CTX, que, naquele ano, havia sido fundado por um grupo de jovens enxadristas da terra mafrense. Terminei o Curso de Direito na Universidade Federal do Piauí, que frequentei de 1975 a 1978, tendo sido um dos três classificados para representar a UFPI nos Jogos Universitários Brasileiros de Xadrez (JUBs). Mas não joguei a competição. Pelo Clube Teresinense de Xadrez – CTX, participei de campeonatos e alguns torneios, durante o tempo que ali estive, e cheguei a ficar com o 3º lugar no Campeonato Teresinense de Xadrez. Em 1991, disputando o Torneio APCEF-PI, recebi a medalha de Melhor Veterano; e, em 1999, recebi a medalha de 3° lugar no I Torneio Integração AMPEM, na cidade de Teresina (PI). Sou um dos fundadores da Federação Piauiense de Xadrez – FPIX, oficializada em 27/02/1994, filiada à Confederação Brasileira de Xadrez – CBX.

4. Cómo y cuando ingresó en la modalidad a distancia.

R – Na modalidade à distância, jogo xadrez desde setembro de 1991, quando fui admitido no Clube de Xadrez Epistolar Brasileiro – CXEB. Portanto, são quase 27 anos de xadrez por correspondência. No começo, as partidas eram disputadas através do envio de cartas entre os jogadores e havia um diretor de torneio. Posteriormente, passamos a disputar torneios virtuais pela Internet, tendo sido abolida, gradativamente, a disputa de partidas por cartas. Cheguei a Mestre Brasileiro de Xadrez Postal (MBXP) pelo CXEB.

5. Coméntenos las alternativas de los torneos donde obtuvo las normas para alcanzar el título de CCM (ICCF).

R – Alcancei o título de CCM na ICCF através de dois torneios: o “Zonal CADAP 26 – Semifinal 3”, que teve início em 26/12/2017; e o “9th Interzonal Team Tournament”, que teve início em 26/11/2017. No Zonal, alcancei a primeira norma CCM; e no Interzonal TT/9 obtive a segunda norma. Este último, ainda não terminado, conta com uma partida em andamento. Disputo o 3º lugar dentre 13 participantes.

6. Cuales son sus próximos objetivos ?

R – Quero, ao término de minha atividade enxadrística, alcançar o título máximo de Grande Mestre de Xadrez Postal (GM). Mas o próximo passo será obter o título de Mestre Internacional (IM). Porém, alcançar tais objetivos depende da participação em torneios para os quais esteja bem preparado, pois a qualidade dos enxadristas vem crescendo ao longo dos anos, tendo em vista a facilidade de intercâmbio entre as pessoas que jogam xadrez e as múltiplas oportunidades que todos têm para enfrentar adversários de bom nível técnico. Ademais, não disponho de muito tempo para estudar xadrez, pois tenho uma vida profissional, na área do Ministério Público, que me toma muito tempo.

Juan Carlos Pérez Rodríguez

Deja una respuesta

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.